Visualizações de página do mês passado

pratica musical escola de artes

Este é um blog para divulgar minha escola ,meus alunos e a música em geral.Vão encontrar aqui links diversos criados por mim e também os encontrados na internet. "Se algum autor ou detentor de direitos autorais solicitar, o post sob reclamação será removido. "

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Jaya Jaya Shiva Shambho e o significado de Mantra



Este canto exaltado elogia o aspecto jovial de Shiva, a Própria, auspiciosa habitação de todos os seres.

As palavras Jaya Jaya Shiva Shambho, Mahadeva Shambho, significa

"Viva o Senhor Supremo, a um auspicioso que traz felicidade e alegria, que habita nos corações de todos!"



Mantra - palavra de poder

Quem nunca ouviu falar na palavra: “mantra”?

Esta palavra se tornou popular em nossa sociedade contemporânea e está associada às vezes em que repetimos algo ou quando proferimos palavras e ensinamentos que utilizamos para nos proteger.

Alguns dizem: “meu mantra é a felicidade e irei me lembrar disso ao logo de todo dia”, outras pessoas usam suas citações e orações preferidas como amuleto e a elas dão o atributo “mântrico”.

Ambas as afirmações estão corretas, uma vez que a natureza do mantra é a repetição (até silenciar a mente) e sua função primordial é a proteção de quem o repete. 
Etimologia

A palavra Mantra descende da união entre duas palavras do sânscrito:
Man: Mente (manas), convite (mantr).
Tra: Instrumento, aquilo que resgata e protege (traati).
Portanto, podemos afirmar que o mantra é o instrumento que protege nossa mente nos resgatando das suas constantes armadilhas.
 
As escrituras indianas afirmam:
Mananat Trayate Itih mantrah
“O mantra protege aquele que o repete”.
Palavras comumente encontradas nos mantras
Om – O som que a tudo permeia, presente desde a formação do universo. Uma sílaba sagrada que abençoa as palavras que a seguem, proferindo o silêncio da mente e a paz de espírito àqueles que a repetem.
Nama – raiz da palavra Namaste: saúdo, reverencio (namaskrta).
Shivaya – Deus que habita dentro.
Jaya – Saudações
Guru – Gu (luz), Ru (escuridão); portanto guru é aquele que nos transporta da escuridão (da ignorância) à luz (do Ser/Conhecimento).
Hara – Aquele que remove os pecados.
Ishwara – Deus
Mahadeva – Grande Deus
Bhagawan – Senhor

Entre tantos outros nomes e qualidades divinas presentes nos mantras.
Mantra Yoga
Assim como muitas ramificações do yoga - karma yoga (yoga da ação), dhyanam yoga (yoga da meditação), hata yoga (yoga física) - o mantra yoga (yoga através da repetição de mantras) tem como objetivo comum nos transmitir o estado do yoga (união) com tudo que nos cerca, fazendo a ponte de ligação entre nossa mente e coração – para que possamos viver a partir deste espaço. 
A religião e o mantra
Não importa muito sua linha filosófica e religiosa (Budismo, Hinduísmos, Catolicismo, Jainismo, etc), pois o mantra exerce o mesmo poder sobre aquele que o repete. Talvez esteja aí seu aspecto universal (jagad): independente de qual lugar do planeta estejamos, ou de qual religião possuímos, nos tornamos uno ao proferirmos suas palavras.
Alterando nossos sentimentos através do Mantra
Um mesmo mantra recebe diferentes melodias, alterando assim seu estado de humor, podendo ser cantado de inúmeras formas: alegre, introspectivo, sereno ou até mesmo muito eufórico. 
Não existem regras para esta prática que não seja a entrega. Julgamentos e avaliações mentais só servem para bloquear a nossa capacidade de entrega neste processo de transe.
Quando nos esquecemos dos nossos pensamentos básicos (o que terei que fazer hoje, por ande andei, quem me ligou, etc) e mergulhamos nossa mente na essência do mantra, podemos desfrutar de um Oásis poderoso e transformador que existe dentro de nós.
“A relação entre a fala, a respiração e o mantra pode ser melhor demonstrada através do método pelo qual o mantra funciona. [...] Através da pronunciação repetida, pode-se obter controle sobre uma determinada forma de energia. A energia do indivíduo está fortemente ligada à energia externa, e uma pode influenciar a outra. [...] É possível influenciar a energia externa, efetuando os assim chamados "milagres". Tal atividade é realmente o resultado de se ter controle sobre a própria energia, através do qual se obtém a capacidade de comando sobre fenômenos externos”.
(Chögyal Namkhai Norbu, Dzogchen)
De onde vem sua força transformadora?
Podemos experienciar seu poder através da constante repetição das suas palavras (em sânscrito) e das suas mágicas e variadas melodias (ragas). 
Seu poder de transformação ainda é algo incomensurável e idiossincrásico, muitas vezes indescritível, contudo, podemos entender melhor sua natureza mágica considerando dois aspectos fundamentais:
1. Seu texto descende de uma língua sagrada (sânscrito), considerada a língua dos Deuses, utilizada apenas para orações na Índia. Muitos dos mantras que conhecemos hoje foram ouvidos (e revelados) em estados de profunda meditação por sábios videntes da antiga Índia. 
Para algumas escolas, especificamente as de fundamentação técnica, mantra pode ser qualquer som, sílaba, palavra, frase ou texto, que detenha um poder específico. Porém, é fundamental que pertença a uma língua morta, na qual os significados e as pronúncias não sofram a erosão dos regionalismos por causa da evolução da língua.
2. Sua melodia (raga) é oriunda de sons considerados celestiais, que foram derivados dos sons encontrados na natureza através do canto de pássaros, sons dos animais, estações do ano, horários específicos do dia (amanhecer, crepúsculo, madrugada). Estas melodias têm o poder de despertar nosso anseio por Deus, tocar nossos corações e expandir nossa consciência.
Existem mantras para facilitar a concentração e meditação, mantras para energizar, para adormecer ou despertar, para desenvolver os chakras ou vibrar canais energéticos a fim de desobstruí-los.
“Como atuam os mantras? O som exerce um poderoso efeito sobre nosso corpo e nossa mente. E pode acalmar-nos e dar-nos prazer ou ter influência desarmoniosa, gerando uma sensação sutil de irritação. O mantra é ainda mais poderoso do que um som comum: é como uma porta que se abre para a profundidade da experiência. Visto que os mantras não têm sentido conceitual, não evocam respostas predeterminadas. Quando entoamos um mantra, ficamos livres para transcender os reflexos habituais. O som do mantra pode tranqüilizar a mente e os sentidos, relaxar o corpo e ligar-nos com uma energia natural e curativa”.
(Tarthang Tulku, A mente oculta da liberdade)

Aspectos da sua repetição
Através desta repetição de atributos Nama (nome) e Rupa (forma) o repetidor se torna uno com aquilo que repete, purificando sua mente e limpando o espelho do coração.

Já presenciei muitos casos em que pessoas que repetiam um mantra se puseram a chorar e, quando questionadas sobre as razões daquele sentimento, não havia uma questão “mental” por detrás daquela ação. As lágrimas vieram como uma limpeza de sentimentos muito profundos e adormecidos que foram removidos em uma limpeza interior.

É neste momento que o mantra liberta sentimentos aprisionados dentro de nós através da sua natureza intrínseca de Sat (verdade) Chit (Consciência) Ananda (felicidade/bem-aventurança). 
O que é kirtan?
Geralmente ouvimos a palavra kirtan associada à prática do canto de mantras. Na verdade a explicação para tal fato é muito simples: kirtan descende da palavra sânscrita namasankirtana, que literalmente quer dizer: a repetição do nome. Portanto kirtan nada mais é do que repetirmos um nome, aspecto ou atributo divino. A esta repetição chamamos também de mantra. 
 
Os efeitos da Repetição
Costumo afirmar que para experimentarmos o poder transformador do mantra temos que deixá-lo vibrar na ponta da nossa língua, massageando nossa mente e escorrendo por todo nosso coração. Recitar mantras é um ato de entrega e adoração (bhakti) onde o resultado só vem quando estamos totalmente abertos e entregues aos seus efeitos.
Associo o efeito de tal repetição à ação de tomar um remédio. Muitas pessoas poderiam deixar o comprimido na língua e depois cuspi-lo. Outros esquecem de tomá-lo. Mas para nos curarmos temos que sorvê-lo com fé (bhakti) que aquilo nos trará um resultado positivo. 
Alguns psicólogos ocidentais defendem que o mantra movimenta outras energias que envolvem aqueles que o entoam e, mesmo repetido de maneiras diferentes, os efeitos produzidos eram correspondentes ao esperado.
“Cantar o nome de Deus é yoga. Isto tem grande shakti (energia). Esta shakti silencia a mente e preenche o coração com amor. Cantar destrói preocupações, sofrimentos e cria alegria. Purificando a atmosfera tanto interna quanto externa. Isso mata os germes da agitação da mente. Quem quer que cante o nome de Deus com entusiasmo será preenchido com o êxtase divino”.

(Swami Muktananda)
Sing the name (all rigths reserved Siddha Yoga Dham)
Texto: Sandro Shankara
Fonte de pesquisa: Wikipédia
Esta pesquisa veio do Portal Arco íris


10 comentários:

  1. Estou ouvindo o mantra Shiva Shamboo,e lindo,te dá uma paz infinita,voce não consegue parar de cantar,e purificador

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo,Carlos Alberto!Maravilhoso!!!!

      Excluir
  2. Este mantra shiva shambo é o máximo dos mantras.. parece um chicletinho na mente! Adoro.. cantarolo o dia todo!

    ResponderExcluir
  3. Jaya Jaya Shiva Shambho, Mahadeva Shambho!!!!
    E é assim mesmo começamos bem baixinho um volume bem pequeno e de repente nos enchemos com uma força que nos faz elevar a voz e nos traz um bem tão grande, uma leveza no corpo e na mente, UMA SENSAÇÃO tão gostosa.

    ResponderExcluir
  4. Primeira vez que comento aqui, mas não é a primeira vez que visito seu lugar, geralmente a procura dos significados dos mantras que tenho ouvido. Sempre uma boa leitura, sempre um bom aprendizado.

    Obrigado por compartilhar.

    Abraço !

    ResponderExcluir
  5. Estou começando a compreender ,estou muito feliz eterna aprendiz gratidão

    ResponderExcluir

Itens compartilhados de raquel

Pesquisar este blog

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Porto Alegre, RS, Brazil
Sou um ser tentando evoluir...